Com a Taxa Selic mais baixa da histórica os financiamentos habitacionais estão mais acessíveis.

A menor taxa de juros da história deixou os financiamentos de imóveis mais baratos. Não à toa o setor imobiliário bombou mesmo com a pandemia. Mas, para quem está pensando em comprar casa ou apartamento em 2021, fica a dúvida: os preços devem subir?

Para João da Rocha Lima, professor do núcleo de real estate da Poli-USP. “Os juros não vão subir no curto prazo, mas no médio prazo devem aumentar. Em nenhuma hipótese devem ser mais baixos do que o nível atual. Este é o melhor momento para conseguir um financiamento barato”, diz o especialista. O fato é que o atual momento é muito favorável para a compra, especialmente para quem deseja financiar o pagamento do imóvel. Já que atualmente, alguém com 30 anos conseguir comprar um imóvel de 400 mil reais na Caixa, basta uma renda familiar de cerca de 9 mil reais.

E os preços sobem?

Nos últimos meses, o segmento de construção apresenta forte pressão de preços dos insumos. Alguns materiais de construção chegaram a registrar 60% de aumento no valor. Esse aumento de custos vem se refletindo nos preços dos imóveis, que começaram a aumentar a partir de outubro de 2020. 

Além disso, em grandes cidades, como São Paulo, os preços dos terrenos continuam a subir. Portanto, o esperado é que os imóveis fiquem mais caros esse ano. “Esse aumento de valores será limitado caso os juros também subam, porque podem fazer com que a demanda caia muito. Mas, se os juros ficarem no mesmo lugar, haverá pressão nos preços.”

Para, o coordenador do índice de preços de imóveis FipeZap, Eduardo Zylberstajn, a situação do mercado não muda de um dia para o outro. “A compra de um imóvel impacta a vida financeira de uma família por décadas. Ou seja, não é porque o preço vai subir 10% que é necessário ter pressa. A perspectiva é que essa fase positiva do mercado de imóveis dure até 2022.”

Open chat
Powered by